Vai reconhecer a sua Cidadania na Itália? Cuidado com quem você leva junto!

Ciao, tutto bene?

 

Hoje vou conversar sobre companhia.

Quem está correndo atrás da cidadania italiana certamente pensa em viajar para a Europa – seja provisoriamente, apenas para acelerar o pedido do reconhecimento, seja permanentemente, para morar por lá. Ao planejar a viagem, vez ou outra a pessoa acaba se deparando com dúvidas sobre quem ela pode levar  junto.

Sabe qual é uma situação bem comum? O do brasileiro ou brasileira descendente de italianos que decide ir para a Itália dar início ao processo de reconhecimento da cidadania aqui . Ele(a) sabe que passará cerca de três meses na Europa, cuidando das papeladas e aguardando a burocracia funcionar. E não raras vezes este(a) brasileiro(a) não é nenhum(a) jovem solteiro(a) – pelo contrário, é um pai/uma mãe de família, ou alguém que tem uma namorada (o), ou que mora aqui no Brasil com bichinhos de estimação e não tem com quem deixá-los durante a viagem!

Eis que surge a dúvida: como fazer para embarcar filhos, parentes e animais de estimação em um avião? Será que posso viajar com eles enquanto busco minha cidadania? Ou será que vou passar esses três meses na maior solidão lá na Europa?

Vou tentar responder a estas dúvidas de uma vez por todas!

 

QUERO LEVAR JUNTO COMIGO MEU/MINHA NAMORADO(A)!!

 

viajar-com-namorado

 

Uma coisa importante de lembrar: a permissão de turista para a Itália dura, no máximo, 90 dias! Se você é umas das pessoas que irá para a Itália dar início ao processo de reconhecimento da cidadania lá, saiba que, caso esse prazo seja superado, precisará pedir o Permesso de Soggiorno. Este documento permitirá sua permanência regular no território italiano pelo período de duração do seu procedimento: você avisa o governo italiano que está na Itália por motivos ‘sérios’ – isto é, seu reconhecimento da cidadania – e em troca o governo te deixa ficar por um tempo a mais.

Sabendo disso, falta responder a pergunta feita acima: posso levar meu/minha namorado(a) para a Itália comigo durante o período de reconhecimento da cidadania? O Permesso vale para ele(a) também?

A resposta é que o Permesso, como poderíamos imaginar, vale somente para a pessoa que está requisitando a cidadania italiana. Seu parceiro ou parceira poderá, é claro, ir também para a Itália, mas estará sob o jugo da permissão de turista (aquela de 90 dias). Depois disso, terá de retornar ao Brasil, não tem jeito.

Dependendo da interpretação da Questura do seu local de residência, a situação poderá diferente para os cônjuges. Apesar de não ser uma regra tão clara assim, existe a possibilidade de se requerer a extensão do permesso di soggiorno in attesa di cittadinanza para o cônjuge. Para isso, eu aconselho sempre se informar com a Questura local antes.

 

 

E MEUS FILHOS, PODEM VIAJAR COMIGO?

 

viajar-com-menores

 

Crianças também entram na explicação do visto de turismo. Mas, aqui, vale uma outra informação importante, baseada em inúmeros casos que temos encontrado.

Vejamos este exemplo: um pai de família vai sozinho para a Itália atrás da cidadania. A ideia é passar cerca de 03 meses por lá e voltar para sua família, no Brasil, com a dupla cidadania em mãos. Mas, por descuidos, o processo acaba demorando demais – é certificado faltando, documento não encontrado, férias do oficial… quando dá por si, o pai já está há mais de quatro meses na Itália, longe da família.

Decide, então, comprar passagens para que seus filhos venham visitá-lo por um período na Itália. Mas como fazer para embarcar as crianças no  avião?

Aqui, é preciso deixar bem claro: companhias aéreas e setores de imigração de todos os países europeus prezam muito pela segurança de crianças e adolescentes. Não é possível  que eles  viagem desacompanhados ou sem autorização de ambos os pais.

Assim… se, no exemplo dado acima, a criança estiver acompanhada da mãe ao embarcar para a Itália, o pai precisará, necessariamente, enviar uma autorização, com firma reconhecida, de que tem conhecimento desta viagem e está de acordo com ela.

Agora, e se a mãe não puder vir? Então a criança obrigatoriamente precisará estar acompanhada de um adulto responsável, o qual levará consigo duas autorizações: a do pai e a da mãe. Nessa autorização, os dados completos do responsável também deverão estar preenchidos.

Todos os modelos de autorização podem ser baixados no site do Conselho Nacional de Justiça. O post “Como viajar com menores para o Exterior” explica em detalhes cada um dos casos de viagens que incluem menores e fornece dicas e links para você.

 

POSSO LEVAR MEU AMIGÃO PELUDO PARA A EUROPA?

 

pet-no-aviao

 

Gente, não é incomum ouvirmos essa pergunta! Muitos jovens decidem tentar a sorte na Europa, buscar o reconhecimento da cidadania por lá. Eles não têm muitos laços que os ‘prendam’ no Brasil, mas… moram com serezinhos tão queridos que é difícil deixá-los para trás: os pets.

Passar três, quatro, seis meses longe do seu animalzinho é um sofrimento para muita gente. E, para quem teve sucesso em conseguir a cidadania italiana e já resolveu ficar por lá mesmo, é hora de trazer os bichinhos em uma viagem transatlântica. Como funciona isso?

Vejam bem, colocar pets no avião é um processo já muito bem definido, com inúmeras regras que precisam ser seguidas. Nós resumimos todas elas de um jeito fácil de entender no nosso post “Posso levar meu cachorrinho para a  Itália?  Dicas  para  viajar  com seu pet para o exterior!“. Não deixe de checar lá as informações em detalhes!

 

O que é fundamental saber, todavia, é que você pode, sim,  embarcar seu  bichinho em  um voo. Pode, inclusive, levá-lo dentro da cabine junto com você, caso ele tenha menos de 8kg!

Os pré-requisitos básicos para embarcar um pet são estes:

 

  • O animal de estimação deve ser um cachorro ou um gato (outros animais precisam de autorização especial)
  • Deve ter no mínimo 10 semanas de vida
  • Deve ter um microchip implantado sob a pele, produzido em padrões internacionais (custa cerca de R$300 no Brasil)
  • Deve estar bem de saúde, com a vacinação em dia
  • Deve ter passado por um exame sorológico
  • Deve ter o CZI, isto é, o documento de Certificado Zoossanitário Internacional
  • Deve ter no máximo 75kg
  • Se for cachorro, deve ser de raça ‘calminha’ (algumas raças consideradas mais agressivas podem ser barradas pelas companhias aéreas e por alguns países europeus)
  • Deve ter um passaporte europeu (é isso mesmo! Seu animal também terá um passaporte, vejam só que elegante! Esse documento é emitido pelo veterinário, converse com ele sobre o assunto).

Como disse acima, expliquei cada um dos pontos em meu post, para quem tiver curiosidade!

 

Finalizando, ir para a Itália buscar realizar seu sonho de ter cidadania italiana não precisa ser uma experiência solitária. Você pode levar junto com você quem você mais ama – de familiares aos bichinhos de estimação! -, desde que cumpra as regras de tempo de permanência e de embarque. Feito isso, certamente sua estadia na Itália será ainda mais prazerosa!

 

Até a próxima!